Senac
 
Fecomercio
Rio de Janeiro

Notícias

Sesc RJ encara São Caetano pela Superliga feminina de vôlei

Equipe carioca segue líder da competição e busca mais um triunfo fora de casa nesta terça-feira (03.12)


publicado em 02-12-19

imprimir

Com seis vitórias em seis compromissos, o Sesc RJ lidera a Superliga feminina de vôlei 19/20 com 17 pontos. E após sair com um triunfo marcante no clássico contra Osasco, na última sexta, o time comandado pelo técnico Bernardinho terá pela frente, nesta terça-feira (03.12), às 21h30, o São Cristóvão Saúde/São Caetano, fora de casa. E apesar da diferença na tabela de classificação (Sesc lidera e São Caetano ocupa a décima posição), as jogadoras da equipe carioca não esperam um confronto fácil no ginásio Lauro Gomes.

Preocupadas em manter a evolução demonstrada nos últimos confrontos na Superliga, as jogadoras do Sesc RJ sabem que não podem se preocupar se terão pela frente um adversário direto ou uma equipe mais jovem, de menor investimento. O fundamental para o time de Bernardinho é manter sempre o nível de excelência lá no alto.

“Nosso foco, mesmo diante de uma equipe com jogadoras mais novas, é sempre manter a guarda em um nível elevado, com foco e concentração. São jogos que podem ser perigosos e precisamos manter sempre nosso nível de dedicação, ponto a ponto, sem vacilar ou relaxar. Essa é a melhor maneira de respeitar nossos adversários. Sabemos que nenhum time da Superliga é bobo e não é o nível de investimento ou a idade das jogadoras que vai dizer quem vencerá no final. Temos um time do outro lado da rede e uma atleta profissional é competitiva por natureza. Se baixarmos a guarda, elas vão cair matando”, recomendou a meio de rede Milka.

Fazendo uma boa temporada de estreia no Sesc RJ, Milka acredita que o espírito de equipe que encontrou no Rio de Janeiro é que o tem feito a diferença neste início de Superliga. De acordo com ela, a invencibilidade e a liderança na Superliga passam pelo elo que o grupo de jogadoras já firmou.

“A nossa boa campanha vem, sem dúvida, da dedicação do grupo. É um elenco muito unido, que sempre está ali, lutando, uma pela outra. Isso acaba fazendo a diferença em jogos que são mais complicados. Você acaba se sentindo muito bem, sabendo que não está sozinha, que está todo mundo junto buscando um objetivo, estando dentro ou fora da quadra. Além disso, as informações que recebemos também são fundamentais. Dos times pelos quais passei, é o que mais recebo informações e isso nos ajuda muito na estratégia, na hora de tomar uma decisão em quadra. Conseguimos ler melhor o adversário”, analisou Milka.

Transmissão ao vivo
O confronto entre Sesc RJ e São Caetano terá transmissão do Canal Vôlei Brasil através do Pay Per View. Os torcedores do Sesc RJ que queiram fazer a assinatura de um plano terão 10% de desconto ao usarem o cupom SESCRJFEMININO10 acessando pelo link: http://bit.ly/2WWS9qe.

Fotos: Marcio Mercante

Mesa Brasil Sesc RJ

Os jogos das equipes feminina e masculina de vôlei do Sesc RJ disputados no Rio de Janeiro têm como entrada 2kg de alimentos não perecíveis, destinados ao ‘Mesa Brasil Sesc RJ’, programa social do Sesc RJ que visa a minimizar os efeitos da fome e do desperdício. Criado em 2000, o Mesa Brasil Sesc, no estado do Rio de Janeiro, recolhe doações de produtos alimentícios em condições de consumo, ainda que eventualmente com baixo valor comercial, e os distribui a instituições de assistência social previamente cadastradas, como asilos, creches, orfanatos, entre outras instituições. O programa atende no estado do Rio de Janeiro a mais de 850 instituições sociais, tendo uma abrangência superior a 90% dos municípios fluminenses. Além das doações, as entidades também recebem mensalmente ações educativas com o objetivo de ensinar o aproveitamento integral de alimentos, com a utilização de cascas, sementes e talos, na elaboração de receitas nutritivas e saborosas.

Os alimentos podem ser trocados por ingressos com antecedência nas unidades do Sesc RJ e em dias de jogos nas bilheterias do Ginásio Álvaro Vieira Lima (Tijuca Tênis Clube), sempre duas horas antes do início das partidas.