Senac
 
Fecomercio
Rio de Janeiro

Notícias

Sesc RJ apresenta filmes pouco conhecidos de grandes diretores brasileiros na Região Serrana

Obras fazem parte da Coleção Cinema Brasileiro Contemporâneo, da Ancine, e serão exibidas em todo o mês de abril no Sesc Quitandinha e em Teresópolis e Nova Friburgo. Já no Sesc Nogueira, o tema é o novíssimo cinema autoral


publicado em 12-04-18

imprimir

Em abril, as unidades do Sesc RJ na Região Serrana irão apresentar filmes brasileiros dirigidos por cineastas de grande destaque, mas que ainda permanecem pouco conhecidos pelo grande público. São obras de Suzana Amaral, Walter Carvalho, Júlio Bressane, Lucia Murat e Lúcio Kodato e Murilo Salles. O público terá mais uma chance para assistir filmes que fizeram grande sucesso de crítica, como “A Erva do Rato”, “Nome Próprio”, “Hotel Atlântico”, “Budapeste” e “Maré, nossa história de amor”, que serão exibidos no Sesc Quitandinha (Petrópolis), em Nova Friburgo e em Teresópolis. A entrada é franca.

Sesc Nogueira 
Já na programação do Sesc Nogueira, uma seleção de filmes autorais dirigidos por uma nova geração de cineastas brasileiros. Entre os diretores, que já conquistaram seu espaço com o público, estão Selton Mello, Karim Aïnouz e Marcelo Gomes, Juliana Rojas e Marco Dutra, Marina Méliande e Felipe Bragança. Serão exibidos os filmes “Trabalhar cansa”, “A alegria” e “Feliz Natal”. A entrada é franca.

No primeiro semestre de 2018, a programação audiovisual do Sesc RJ investe na difusão do cinema nacional com a exibição de filmes que fazem parte da Coleção Cinema Brasileiro Contemporâneo, editada pela Ancine. Serão seis recortes curatoriais, que agrupam os filmes por afinidades estéticas ou temáticas que apresentam ao público um panorama diversificado da produção cinematográfica nacional.

Filmes
Em “Hotel Atlântico” (Suzana Amaral | 110’ | 2009 | 14 anos | FIC), Alberto (Júlio Andrade) é um ator desempregado, que vive no Hotel Atlântico. Um dia, após ver o IML retirar um cadáver do hotel, ele decide iniciar uma jornada. Durante a viagem de ônibus ele conhece uma polonesa (Lorena Lobato) e, ao chegar, recebe abrigo de um sacristão (Gero Camilo). Depois de sofrer um acidente e ser levado a um hospital, ele conhece o enfermeiro Sebastião (João Miguel) e Diana (Mariana Ximenes), a filha do médico que o atende. Os dois provocam grandes mudanças em sua vida.

“Maré, nossa história de amor” (Lucia Murat e Lúcio Kodato | 105’ | 2008 | 16 anos | FIC), é ambientado na favela da Maré, no Rio de Janeiro, dividida pela briga pelo poder no tráfico de drogas. Analídia (Cristina Lago) é a filha de um dos chefes, que está atualmente preso. Jonatha (Vinícius D'Black) é o MC da comunidade e também irmão de Dudu (Babu Santana), que disputa o poder com o pai de Analídia. O sonho de Jonatha é gravar um CD, mas ele reluta em aceitar a proposta de Dudu para financiar sua produção, já que o dinheiro viria do tráfico. Jonatha e Analídia vivem em famílias rivais e se apaixonam ao se conheceram no grupo de dança da comunidade, coordenado por Fernanda (Marisa Orth).

Baseado no livro homônimo de Chico Buarque, o filme “Budapeste” (Walter Carvalho | 113’ | 2009 | 16 anos | FIC) conta a história de José Costa (Leonardo Medeiros), um bem sucedido ghost writer. Ao retornar do Congresso de Escritores Anônimos, em Istambul, uma ameaça de bomba faz com que seu vôo aterrisse em Budapeste, na Hungria. Ao chegar, o escritor se apaixona pelo idioma local. Já de volta ao Rio ele reencontra Vanda (Giovanna Antonelli), sua esposa, e o filho. Entretanto sua vida torna-se cada vez mais infeliz, o que faz com que comece a murmurar em húngaro enquanto dorme. Para salvar o casamento Costa passa a escrever autobiografias, numa tentativa de que a vida de outras pessoas o salve do tédio que sente. Seu maior sucesso comercial é "O Ginógrafo", que conta as aventuras amorosas de um alemão, Kaspar Krabbe (Antonie Kamerling), no Brasil. Só que Vanda se apaixona por Krabbe, acreditando ser ele o autor do livro, o que faz com que Costa sinta-se traído e ressentido com o trabalho que exerce.

Já em “A Erva do Rato” (Júlio Bressane | 80’ | 2009 | 16 anos | FIC), após se conhecerem em um cemitério a beira-mar, um homem (Selton Mello) propõe a uma mulher (Alessandra Negrini) que cuide dela. Ela aceita a oferta, o que faz com que morem juntos. Durante um longo tempo ele conta histórias sobre a geografia do Rio de Janeiro, os venenos preparados pelos índios e a mitologia grega. Até que, notando o cansaço dela, ele decide comprar uma câmera fotográfica. Ela logo se torna sua musa, sendo o foco principal de todas as suas fotos. Quando descobre que um rato está roendo as fotografias tiradas, ele espalha pela casa diversas ratoeiras. Mas aos poucos descobre que o animal não é tão indesejado assim.

Em “Nome Próprio” (Murilo Salles | 120’ | 2007 | 18 ANOS | FIC) Camila (Leandra Leal) tem a escrita como sua grande paixão. Intensa e corajosa, ela busca criar para si uma existência complexa o suficiente para que possa escrever sobre ela. Ela escreve compulsivamente em um blog, só que isto faz com que também fique isolada e que só consiga ver duas opções na vida: se matar ou encontrar o grande amor - o que vier primeiro.

Trabalhar cansa
Dir. Juliana Rojas e Marco Dutra | 99’ | 2011 | 12 ANOS | FIC
Helena (Helena Albergaria) é uma dona de casa que resolve abrir um minimercado. Tudo vai bem até Otávio (Marat Descartes), seu marido, perder o emprego. A partir de então estranhos acontecimentos tomam conta do local, afetando o relacionamento do casal com a empregada doméstica.

A alegria
Dir. Marina Méliande e Felipe Bragança | 106’ | 2008 | LIVRE  | FIC
Luíza (Tainá Medina) é uma garota de 16 anos que vive com a mãe (Mariana Lima). Um dia seu primo João (Junior Moura) é baleado em Queimados, cidade da Baixada Fluminense, e desaparece. Todos acham que João foi morto, menos Luíza, que recebeu uma visita dele logo após o ocorrido. A mãe de Luíza resolve ficar em Queimados com a irmã (Maria Gladys), deixando a garota sozinha no apartamento do Rio de Janeiro. João visita a prima e fica no local para se recuperar, sendo cuidado por Luíza e seus amigos.

Feliz Natal
Dir. Selton Mello | 100’ | 2008 | 14 ANOS | FIC
Caio (Leonardo Medeiros) tem 40 anos e trabalha em um ferro-velho no interior. Hoje ele possui uma companheira e uma ocupação constante, mas no passado levou uma vida de grande irresponsabilidade, da qual saiu vivo por sorte. A proximidade do Natal faz com que ele faça um balanço de sua vida, decidindo retornar à capital. Ao chegar ele encontra seu irmão Theo (Paulo Guarnieri), cujo casamento está em crise. Miguel (Lúcio Mauro), seu pai, vive com uma mulher de caráter duvidoso e Mércia (Darlene Glória), sua mãe, vive à base de coquetéis alcóolicos e psicotrópicos. Sua cunhada Fabiana (Graziella Moretto) está perdida entre as frustrações do casamento, enquanto que os sobrinhos Neto e Alex estão cada vez mais exigentes. A presença de Caio faz com que a vida de todos seja alterada, enquanto que ele próprio está em busca de sua identidade.

Audiovisual no Sesc RJ - Desde 2016, o Sesc RJ tem diversificado sua programação cinematográfica, propondo um circuito paralelo de exibição de filmes com pouca penetração nas salas de cinema. Com uma grade regular adequada ao perfil de cada unidade, a programação é composta por filmes com algum diferencial estético ou narrativo, que visam ampliar o imaginário audiovisual do público.

Programação completa:

GRANDES DIRETORES

SESC NOVA FRIBURGO

  • 14/04. 16h – Maré, Nossa História de Amor
  • 28/04. 16h – Nome Próprio

SESC QUITANDINHA

  • 14/04. 16h -  Hotel Atlântico
  • 28/04. 16h -  Nome Próprio

SESC TERESÓPOLIS

  • 01/04. 15h – Hotel Atlântico.
  • 04/04. 18h30 – Hotel Atlântico.
  • 08/04. 15h – Maré, nossa história de amor.
  • 11/04. 18h30 – Maré, nossa história de amor.
  • 15/04. 15h – Budapeste. 

NOVÍSSIMO CINEMA AUTORAL

SESC NOGUEIRA

  • 05/04 – 20h30 – Trabalhar Cansa
  • 12/04 – 20h30 – A alegria
  • 19/04 – 20h30 – Feliz Natal
  • 26/04 – 20h30 – A alegria
  • 27/04 – 20h30 – Trabalhar Cansa – Sessão extra – Pacote Dia do Trabalhador