Senac
 
Fecomercio
Rio de Janeiro

Teatro Sesc Ginástico

Notícias

Com direção de Rodrigo Portella, “Os Impostores” estreia dia 31 de outubro no Teatro Sesc Ginástico

Guilherme Piva e grande elenco encenam espetáculo que reflete sobre as ruínas éticas e morais da sociedade


publicado em 17-10-19

imprimir

Num futuro próximo, o Brasil é devastado por uma hecatombe ecológica. Movimentos de placas tectônicas parece formar uma nova Pangéia. A força das águas inunda, destrói, arrasa tudo. Uma tradicional e rica família brasileira sobrevive ao caos, confinada num suntuoso bunker debaixo da terra há anos (ou seriam décadas? Quem sabe séculos?). Os membros dessa família estão tocando a vida – ou o que sobrou dela, entre taças de champanhe Cristal e latas de caviar Beluga – salvos do caos externo, até que recebem uma visita inesperada, que tal como lá fora, irá mexer com as estruturas dessa família e colocar em xeque a aparente harmonia em que viviam até então.

Esse é o enredo da peça “Os Impostores”, dirigida por Rodrigo Portella, com Guilherme Piva e grande elenco, que estreia dia 31 de outubro no Teatro Sesc Ginástico. O espetáculo aborda ruínas éticas e morais, inundadas de água, lama e ambição, embaladas pela lavagem cerebral das promessas vazias de fé

– Embusteiros, falazes, dolosos, enganadores, mentirosos, patranheiros, sub-reptícios, trapaceiros, IMPOSTORES! Pessoas que encontramos por todos os lugares, na padaria do lado de casa e no metrô, nas cadeiras de espera do atendimento do banco e nas filas dos supermercados. Eles estão por aí. Pessoas que se aproveitam dos buracos da alma e do vazio no coração. Impostores são predadores mas podem ser presas também – comenta a produtora Claudia Marques, também idealizadora do espetáculo. – Quando resolvi levar essa história para o palco e juntei essa trupe maravilhosa atendendo a um chamado do Gustavo Pinheiro, eu tinha um grande desejo, o de falar sobre o perigo que nos ronda quando estamos vulneráveis e frágeis, de falar sobre opressão e oprimido e sobre a importância de estarmos fortalecidos e atentos aos sinais.

A trupe que Claudia Marques menciona são os atores Carolina Pismel, Guilherme Piva, Murilo Sampaio, Pri Helena, Suzana Nascimento e Tairone Vale, o diretor Rodrigo Portella, a cenógrafa Julia Deccache, a iluminadora Ana Luzia Molinari de Simoni, o diretor musical de Marcello Alonso Neves, o figurinista Tiago Ribeiro, a diretora assistente Mariah Valeiras, a produtora executiva Jéssica Santiago, além das equipes de comunicação, produção e apoio.

– Em 1664, Molière escreveu uma comédia chamada “Tartufo ou O Impostor”. Ela é mundialmente conhecida como Tartufo, mas acho O Impostor uma provocação mais instigante pois ela se ocupa de uma impostura, no caso a religiosa. A sociedade brasileira contemporânea é farta em imposturas de toda ordem: religiosas, morais e éticas. A questão central da peça de Molière é uma família que recebe a visita de um homem dissimulado, capaz de desestabilizar a dinâmica daquele grupo social – diz o autor Gustavo Pinheiro, também idealizador do espetáculo. – Minha sensação como autor é que coloquei “a bola no campo”, trazendo temas tão atuais para discussão neste grupo de profissionais extremamente inteligentes e estimulantes. A cada novo ensaio surgiam muitas ótimas ideias e caminhos, num trabalho verdadeiramente colaborativo, que dialoga com o Brasil contemporâneo. É como se disséssemos: “Molière, querido, obrigado pela sugestão de enredo. Daqui em diante, é com a gente”.

– Se alguém me perguntar qual o gênero dessa peça eu direi IRONIA, uma narrativa que opera na oposição, no atrito e na gozação. Imaginem um bunker que abriga uma família rica, ali por décadas, sem sair, estoques intermináveis de combustível, água, mantimentos e até oxigênio, uma personagem que trabalha para essa família há dezenas de gerações. Ok, isso pode não ser tão absurdo quanto uma jovem que tenta salvar o planeta, uma mulher viciada em ansiolíticos, um homem envolvido em uma paixão compulsiva enquanto outro quer recuperar o poder perdido. Mas, coisa de outro mundo mesmo seria se ainda aparecesse alguém querendo se aproveitar das fragilidades alheias para tirar alguma vantagem. Isso seria um verdadeiro absurdo senão fosse uma ironia. Isso é a peça – comenta o diretor Rodrigo Portella, que também assina o texto da peça.

Com realização do Sesc RJ e apoio cultural do Firjan SESI, através do Edital Fomento às Artes, “Os Impostores” terá estreia nacional no dia 31 de outubro de 2019, no Teatro Sesc Ginástico, Centro do Rio de Janeiro, onde ficará em cartaz até 1º de dezembro, com sessões quintas, sextas e sábados, às 19h, e domingos, às 18h.

SERVIÇO

Os Impostores
Local: Teatro Sesc Ginástico. Av. Graça Aranha, 187, Centro, Rio de Janeiro. (próximo à Estação Carioca do Metrô)
Estreia Nacional: 31 de outubro de 2019.
Temporada: de 31 de outubro a 1º de dezembro. Quintas, sextas e sábados, às 19h, e domingos, às 18h.
Ingresso: R$ 7,50 (habilitados Sesc), R$ 15,00 (estudantes e idosos) e R$ 30,00 (inteira).
Funcionamento da Bilheteria: terça a domingo, das 13h às 20h.
Telefone da Bilheteria: (21) 2279-4027
Capacidade de Público: 513 lugares
Classificação Etária: 16 anos