Senac
 
Fecomercio
Rio de Janeiro

Notícias

O Sul-Americano de Clubes é nosso!

Rexona-Sesc vence o Dentil/Praia Clube e conquista o campeonato pela quarta vez


publicado em 20-02-17

imprimir

É campeão! O Rexona-Sesc conquistou seu quarto campeonato Sul-Americano de clubes no último sábado (18/02). Foi a primeira vez que o time carioca enfrentou o Dentil/Praia Clube em um Sul-Americano, mas a equipe manteve a invencibilidade diante do rival mineiro e venceu por 3 sets a 1 (25-19, 20-25, 25-19 e 25-10). A conquista valeu o título do torneio continental e uma vaga no Mundial de clubes, que será disputado em maio, em Kobe, no Japão.

Mesmo jogando na casa do adversário, o Rexona-Sesc começou a partida impondo um forte ritmo de jogo. E, apesar da ascensão mineira no segundo set, a equipe carioca soube controlar os nervos e ajustar os detalhes para voltar a liderar o marcador a partir do terceiro set .

- Quando começou a temporada a gente sabia da importância desse campeonato. E sendo em Minas só aumentou as nossas dificuldades. Enfrentar o Praia na casa deles é uma missão dificílima. Missão cumprida - analisou Gabi, que foi eleita a jogadora mais valiosa do Sul-Americano de clubes.

- É clichê, mas é a mais pura verdade. O que importa para a gente são os títulos coletivos, não adiantaria ganhar o prêmiosem ganhar o campeonato. Fico muito feliz, mas qualquer uma poderia ter ganhado, jogamos como um time e todas foram muito bem - completa a jogadora.

Além de a ponteira Gabi ter sido eleita a melhor jogadora da competição, Fabilevou o prêmio de melhor líbero, Monique, de melhor oposta e Roberta, de melhor levantadora.

Apesar da euforia com a conquista do título, o técnico Bernardinho prefere voltar as atenções para a Superliga, para só depois pensar no Mundial de Clubes.

- Vencemos um campeonato muito importante. Uma vitória na casa delas, mas agora nosso foco será a Superliga. Temos quatro jogos que serão dificílimos, queremos manter a liderança, então teremos que trabalhar muito. O Mundial é um torneio muito difícil, as equipes contam com muitas estrangeiras. Temos que focar primeiro na Superliga, para só depois pensar nas pedreiras do Mundial - finalizou o técnico Bernardinho.