Senac
 
Fecomercio
Rio de Janeiro

Programação


Música

  • Atividade Paga
  • Atividade Gratuita
  • Atividade PCG

RapJazz

imprimir

O Projeto RapJazz tem como objetivo a realização de apresentações musicais onde a estética do rap seja o fio condutor para encontros e apresentações de artistas e bandas com diversidade e referências sonoras plurais, gêneros híbridos e formações inusitadas. Durante as apresentações, se destacam repertório, instrumentação e bandas/artistas com trabalhos que sejam frutos de pesquisas artísticas coletivas e autorais, assim como discursos estéticos balizados pela pesquisa e experimentação com vista à reflexão dos gêneros musicais estabelecidos e alargamento da linguagem, projetados e inseridos em recortes históricos, geográficos e sociais. 

A proposta oferece diferentes experiências ao público, com repertórios e grupos que se caracterizam pelo Rap, movimento no qual o trabalho artístico e a postura social são marcas importantes. O Brasil, com sua vasta riqueza musical, alimenta artistas do gênero, reforçando uma identidade própria e enriquecendo essa forma de arte. O jazz, presente no nome do projeto, representa a liberdade de estilos musicais presentes nas propostas de trabalho dos artistas selecionados, assim como nos encontros propostos.

Atrações:

Nômade Orquestra
A Nômade Orquestra é um ponto de encontro onde diferentes vertentes e expressões musicais interagem de forma única. O grupo desenvolve um trabalho autoral instrumental vivaz e transita com destreza entre os universos do funk, jazz, dub, rock, afro beat, hip-hop, ethiogrooves, entre outros.

O grupo é formado por Guilherme Nakata (bateria), Ruy Rascassi (baixo), Fabio Prior (percussão), Luiz Eduardo Galvão (guitarra), Marcos Mauricio (teclado), Beto Malfati (sax, flauta e pick ups), Bio Bonato (sax baritono), Marco Stoppa (trompete), André Calixto (sax tenor e flautas), Victor Fão (trombone) e Danilo Oliveira (Vj).

Edgar
Edgar é um rapper paulista nascido em Guarulhos, multiartista, cantor, compositor e performer. Sua primeira participação em um palco foi se apresentando com o grupo Marimbokan no Centro Cultural Adamastor de Guarulhos em 2010, projeto de percussão assinado pelo músico Beto Montag. Na mesma época Edgar já se envolvia com os desabafos que aconteciam nas rodas de rap freestyle no centro da cidade. Há alguns anos vem se projetando na cena suburbana e nessa trajetória lançou em 2015 o disco “Paralelo 22 s” disco produzido de forma independente com Eduardo Barbosa e a produção musical de Jefferson Ob Score.

Seu segundo disco teve a produção musical de Marco Nalesso, Henrique Borazanian, Paulo Júnior, Jhow Produz, Jay Beats e Lucas Latorre com as participações de Luneta vinil e Tunde Sparrow (Nigéria).

Em 2017 lançou o disco “Protetora dos bêbados e mal-amados” tendo a produção musical assinada por DJ Makô e Lum com participações de Kiko Dinucci, Juçara Marçal, Rodrigo Brandão e Pedro Bomba. Ainda no ano de 2017 lançou um disco com 7 faixas intitulado “O novíssimo Edgar”. Atualmente lançou seu novo disco intitulado “Ultrassom”, a produção musical é assinada por Pupillo Oliveira, um dos principais produtores musicais da atualidade e baterista da banda Nação Zumbi. Edgar mergulha sem equipamento de proteção num salto quântico em seu ponto de vista, nos trazendo a perspectiva de um arco íris que se forma em uma poça de água suja de óleo.

Braza
O EP Liquidificador do grupo BRAZA é miscigenado, plural, multiétnico, polifônico. Dub, Rap, Kuduro, Afrobeat e Afoxé misturam-se em antropofagia, morro, asfalto e pista. Em seu terceiro trabalho de estúdio, a banda segue sua pesquisa sonora tendo o conceito fortemente baseado na dança, na visceralidade, nos ritmos ancestrais, na cultura brasileira e na mensagem de esperança.  No EP, o BRAZA trabalha pela primeira vez ao lado de um produtor musical. O escolhido foi o alquimista sonoro carioca Kassin (Los Hermanos, Nação Zumbi, Vanessa Da Mata, Orquestra Imperial e outros), com quem a banda poliu as 5 faixas que compõe o trabalho.

Black Alien
Black Alien começou a cantar no início dos anos 90 e logo na sequência já possuía as credencias de ter gravado com artistas como Paralamas do Sucesso à Sabotage, sempre com canto sinuoso e versos contundentes.

Em 2004 lançou o seu primeiro álbum solo, Babylon by Gus Vol.1 - O Ano do Macaco, um clássico instantâneo. E atualmente, após um hiato de quase 9 anos, Black Alien está gravando o seu segundo disco, Babylon By Gus Vol.2 - No Princípio Era o Verbo.

O Quadro
O Quadro é uma das bandas, na Bahia, que representa essa tendência do Hip Hop, intitulada Nova Escola (New School), que busca inovações estéticas a partir do diálogo com outros estilos musicais e movimentos culturais. Ou seja, as composições do grupo oscilam entre a bravura e a brandura, o local e o universal, vão do ijexá ao afrobeat, sem deixar, por isso, de ser Rap.

MC Martina
Poeta, rapper e produtora cultural nascida e criada no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, é Idealizadora do Slam Laje, uma batalha de poesia que acontece mensalmente no Complexo. Martina também é uma das fundadoras dos Poetas Favelados, um coletivo que realiza “Ataques Poéticos” em transportes e espaços públicos pela cidade.

Yas Werneck
Carioca, suburbana e matematicamente poética, a jovem de 24 anos, estudante de matemática e moradora do bairro de Anchieta, Yasminie Werneck é uma rapper e cantora. Ela é gente como a gente, mas tem seu grande diferencial: o poder da sua voz. Mais uma mulher talentosa conseguindo ganhar seu espaço e visibilidade. Ainda no início da carreira, a cantora lança seu primeiro EP, conquistando seu espaço na cena do rap pelas ruas do Rio de Janeiro, em diferentes eventos de rua. A intenção em suas letras é abordar temas cotidianos, com uma visão inteligente e perspicaz.

Zé Bigode Orquestra
Formada em junho de 2016, Zé Bigode Orquestra conta com dois trabalhos de estúdio: o EP Zé Bigode, eleito como o segundo melhor EP de 2016 no premio Genius Awards, e seu mais recente trabalho Fluxo, que foi lançado em maio de 2017 e entrou para a lista dos 50 melhores discos daquele ano pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte).

O repertório ao vivo é firmado na música instrumental autoral e conta com misturas que vão do Afrobeat ao Hip Hop, passando pelo Jazz e ritmos da cultura popular que se entrelaçam. Já colaboraram com a banda artistas como: Carlos Malta, Jef Rodriguez (OQuadro), André Sampaio (Ponto de Equilíbrio, André Sampaio e os Afromandiga), Pedro Selector (Bnegão e os Seletores de Frequência), Leandro Joaquim (Jards Macalé, Abayomy), Alexandre Garnizé (Tambores de Olokun, Abayomy), Ingra da Rosa e Thiago Elniño.

Chico Tadeu
Chico Tadeu, o ChT, escreveu seu primeiro rap já na adolescência. O contato com o funk na década de 90 foi fundamental para essa composição inicial. Mas suas músicas nunca foram influenciadas por um só gênero. ChT, tem como marca em sua obra a fusão de ritmos como rock e o samba, mas sempre mantendo a essência do rap.

Atento ao presente, ChT vê no caos dos dias de hoje a possibilidade de transpor suas idéias. O rapper indaga em suas composições o papel de cada indivíduo na sociedade. Além de levantar essa questão, suas letras fazem críticas contundentes ao Estado e seus desmandos e problemáticas e à era dos excessos que vivemos.

BK
Abebe Bikila Costa Santos, mais conhecido como BK, é membro do grupo carioca Nectar Gang e também apresenta sólidos trabalhos solo. O rapper, que possui uma carreira anterior como videomaker, já foi considerado uma das grandes promessas da cena do Rap Nacional. Entre seus trabalhos mais proeminentes se destaca a participação icônica em dois dos cyphers mais comentados de 2016, Poetas no Topo e Favela Vive 2.

Marechal não exagerou ao dizer, em sua inesperada faixa Primeiro de Abril, que BK era o futuro do rap. Seu trabalho como MC o fortaleceu como um dos principais nomes e referência da new school do Rap Nacional.

Bia Ferreira
Bia Ferreira é uma cantora, compositora e ativista sergipana. Define sua música como MMP: Música de Mulher Preta. Faz uso de sua música para educar, conscientizar e passar informações a respeito das demandas de luta do movimento antirracismo no Brasil. A multi-instrumentista trabalha com música desde 15 anos. Em ascensão no circuito da música independente brasileira, já participou do Pulso Redbull Music, do Vento Festival 2018 e faz shows ao redor do país. Gravou no Estúdio Show Livre a música Cota Não É Esmola, da sua participação do Sofar Sessions Latin America, que já ultrapassou a marca de três milhões de visualizações no Youtube.


Sesc Copacabana

16outubro

Ter

Zé Bigode Orquestra convida BK e Chico Tadeu

20h

GRÁTIS (PCG), R$ 7,50 (habilitado Sesc), R$ 15 (meia-entrada: casos previstos por lei e estendida para professores e classe artística mediante apresentação de registro profissional), R$ 30.

Entrada Solidária: A doação de 1 kg de alimento não perecível garante desconto de 50% na compra do ingresso. Os alimentos arrecadados serão doados para o projeto Mesa Brasil.

Classificação indicativa: 14 anos

23outubro

Ter

O Quadro convida Marechal, MC Martina e Yas Werneck

20h

GRÁTIS (PCG), R$ 7,50 (habilitado Sesc), R$ 15 (meia-entrada: casos previstos por lei e estendida para professores e classe artística mediante apresentação de registro profissional), R$ 30.

Entrada Solidária: A doação de 1 kg de alimento não perecível garante desconto de 50% na compra do ingresso. Os alimentos arrecadados serão doados para o projeto Mesa Brasil.

Classificação indicativa: 14 anos

Teatro Sesc Ginástico

30outubro

Ter

Braza convida Black Alien

19h30

GRÁTIS (PCG), R$ 7,50 (habilitado Sesc), R$ 15 (meia-entrada: casos previstos por lei e estendida para professores e classe artística mediante apresentação de registro profissional), R$ 30.

Entrada Solidária: A doação de 1 kg de alimento não perecível garante desconto de 50% na compra do ingresso. Os alimentos arrecadados serão doados para o projeto Mesa Brasil.

Classificação indicativa: 14 anos

06novembro

Ter

Nômade Orquestra convida Edgar e Bia Ferreira

19h30

GRÁTIS (PCG), R$ 7,50 (habilitado Sesc), R$ 15 (meia-entrada: casos previstos por lei e estendida para professores e classe artística mediante apresentação de registro profissional), R$ 30.

Entrada Solidária: A doação de 1 kg de alimento não perecível garante desconto de 50% na compra do ingresso. Os alimentos arrecadados serão doados para o projeto Mesa Brasil.

Classificação indicativa: 14 anos