Desenho: deixando fluir vivência e criatividade

O olho é aquilo que foi
comovido por um certo
impacto do mundo e que
o restitui ao visível pelos
traços da mão.

MERLEAU-PONTY

É no embate homem/mundo que a arte se dá. Ela é viva, e através dela o homem questiona e interpreta sua própria natureza. Descobre, inventa, conhece, ressignifica e constrói formas.

A arte é um caminho que proporciona ao homem entender o contexto ao seu redor e relacionar-se com ele. A fim de assegurar sua sobrevivência é preciso conhecer seu meio. Representá-lo faz parte do próprio processo pelo qual o ser humano amplia seu saber. Ela se faz presente desde as primeiras manifestações de que se tem conhecimento como representação, linguagem, produto da relação homem/mundo.

As primeiras pinturas nas rochas são manifestações gráficas cercadas de significados – rituais religiosos e cerimoniais. Seus significados iam além da pura representação, simbolizavam para os povos primitivos os próprios animais, o mundo real.

Convivemos com a arte diariamente, basta olhar para tudo que está ao nosso redor. Estamos sempre em construção, por isso precisamos desenvolver a percepção visual do mundo e da arte, ampliar o repertório visual e gráfico que contribui para a construção de um olhar crítico no exercício de cidadania.

O contato com obras de arte pode ampliar significativamente, não só o conhecimento de arte, mas também a leitura de mundo e o repertório imagético.

Vemos com o corpo inteiro. Ao sentir o mundo traduzimos um pensamento, desvelamos um conceito. Ao desenhar revelamos uma apropriação, uma experiência, damos espaço à interpretação elaborando correspondências, relacionando, simbolizando, significando, construindo novas configurações do real.

A arte é um convite à liberdade, à expressão, à afetividade, a ser criança sempre. Por isso, precisamos estimular a imaginação criadora, a expressividade, a leitura da obra de arte, atitudes que contribuem para a construção de um percurso criativo.

Paul Cézanne diz que O desenho é apenas a configuração daquilo que você vê. Então… Olhar o mundo através dos olhos, dos ouvidos, da pele nos dá a possibilidade de sentir, experienciar e (re)criar o mundo.

Carla Giovana Silva de Castro Rolim
Arte educadora

Referências bibliográficas
BUORO, Anamelia Bueno. O olhar em construção – uma experiência de ensino e aprendizagem da arte na escola. São Paulo: Cortez, 2003
ARNHEIM, Rudolf. Arte e percepção visual: uma psicologia da visão criadora. Trad. Ivone Terezinha de Faria. São Paulo: Pioneira/EDUSP, 1980
BARBOSA, Ana Mae. A imagem no ensino de Arte. São Paulo: Perspectiva/IOCHPE, 1991
DERDIK,Edith. Formas de pensar o desenho. São Paulo: Scipione, 1994
MERLEAU-PONTY,M. Fenomenologia da percepção. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999