Arte em Cena

Arte em Cena: como nossas atrações ganharam as telas e a sala da sua casa

Solução para os tempos de isolamento social, projeto Arte em Cena já acumula mais de 20.000 visualizações e pode resultar em novos formatos para levar arte de qualidade ao seu público.

O ano de 2020 foi repleto de desafios em todo o mundo: fomos todos obrigados a nos reinventar para viver nossas vidas nos expondo o mínimo possível à contaminação pelo coronavírus. E esse desafio norteou diversas ações aqui no Sesc RJ, entre elas, o projeto Arte em Cena.

Diante da impossibilidade de receber o público e realizar atividades culturais nas nossas unidades, a equipe de Cultura se mobilizou junto a artistas para adaptar espetáculos de música, artes cênicas e infantis para um novo formato: o digital. Foi um grande desafio para quem sempre trabalhou no presencial!

“Foi como parar um trem em alta velocidade. Precisamos nos recompor, entender o que estava acontecendo e redirecionar nosso trabalho, sem perder de vista aonde queríamos chegar. Então, optamos pela programação virtual, sistemática e inicialmente com os trabalhos artísticos já contratados, escolhendo os projetos viáveis de adaptação para as plataformas digitais. Então, nasceu o Arte em Cena, que foi implementado nas reuniões de curadoria, com as equipes de todas as Unidades para planejar a programação, tendo como prioridade a  diversidade de conteúdos”, explica Márcia Rodrigues, gerente de Cultura do Sesc RJ.

Foi a partir do mês de julho que o nosso canal no Youtube ganhou um calendário especial: às quartas, 19h, eram transmitidas ao vivo as atrações musicais e, aos sábados, às 11h, era a vez da criançada ter seu horário exclusivo, intercalando atrações literárias e circenses. A partir de agosto, a programação abarcou também as quintas-feiras, com apresentações de artes cênicas e audiovisual seguidas de debates. Desde então, já foram mais de 60 atrações, que tiveram um total de mais de 20 mil visualizações ao longo dos últimos cinco meses.

Para muitos artistas, atuar nas plataformas digitais exige uma série de adaptações. Entre os formatos mais desafiadores estão as artes cênicas, que normalmente demandariam um palco, um cenário e uma estrutura, que precisa ser completamente adaptada para caber mas mídias digitais. Muitas vezes. é preciso se reinventar, como ocorreu com o espetáculo “Eu Amarelo”, com a atriz Cyda Moreno, que abordava a obra da escritora Carolina Maria de Jesus. A live foi ao ar no dia 19 de novembro, às 19h, e teve um total de 2.429 visualizações desde então, um dos maiores públicos registrados desde o início do projeto, em julho.

“Tem sido um desafio adaptar para esse formato, porque o o teatro é a arte da presença. Mas, nós artistas somos seres adaptáveis, nada nos para. A obra de Carolina é muito vasta, com uma poética muito forte. Nossa adaptação foi essa versão de 40 minutos, com cenas que nos permitiram um recorte entre o início, o meio e o fim do espetáculo construindo uma linha de entendimento sobre a vida da Carolina, antes do Quarto de Despejo, que se tornou um dos melhores best-sellers do Brasil, e depois a sua decadência, quando ela voltou para seu lugar de origem. Conseguimos mostrar vários perfis, várias nuances da personagem. Acho que conseguimos tocar as pessoas e despertar nelas a vontade de conhecer a obra de Carolina Maria de Jesus.” contou a atriz Cyda Moreno. “Pude sentir a receptividade do público através dos comentários e de mensagens nas redes sociais, de pessoas que ficaram muito sensibilizadas, inclusive algumas muito importantes para mim, como do ator Milton Cobra, nosso Griô, que me mandou uma mensagem muito emocionante elogiando a interpretação.”, complementou.

Nesse processo, a equipe de Cultura do Sesc RJ também teve que se reinventar. “A dedicação foi imensa para que descobrissem códigos e ferramentas que tornassem o trabalho mais próximo, mais vivo, mais interessante. Os artistas que estavam contratados para o mês de março e abril, que receberam pagamentos de cachê previamente, estiveram sempre disponíveis e abertos a revisitar suas obras e realizar novas composições para o Arte em Cena.”, disse Fabiana Vilar, analista de Cultura.

Prestes a encerrar a programação de 2020, que vai até o dia 23 de dezembro, é importante revisitar essa trajetória rica e cheia de aprendizados, que, muito além de colocar atividades culturais ao seu alcance, na sala da sua casa ou onde quer que você esteja, pode também resultar em novos formatos, novas maneiras de levar a arte até seu público, ainda que as condições de saúde se normalizem.

“Tivemos boas lições sobre o contato e as trocas com o público, conseguindo de fato criar espaço de debate e diálogo. Em 2021, queremos dar continuidade ao projeto e ter a oportunidade de experimentar outros formatos ou práticas nas plataformas digitais. Mesmo quando retornarmos às programações presenciais pretendemos manter o palco virtual, provocando os artistas e atingindo diferentes e novos públicos”, planeja Márcia Rodrigues.

Quer conferir tudo o que rolou no Arte em Cena em 2020? Acesse a nossa playlist no Youtube e aproveite para fazer uma retrospeciva!

E não se esqueça de acompanhar as nossas próximas atrações: toda quarta, quinta e sábado tem Arte em Cena no nosso canal no Youtube e na nossa página no Facebook!

Texto de Taiane Cordeiro, especial para o Sesc RJ

Acompanhe nossas notícias para ficar sempre por dentro das iniciativas e novidades do Sesc RJ clicando aqui!

Outras Notícias

Ver todas as notícias
Fórum Internacional Mesa Brasil

Fórum internacional discutirá a fome e o desperdício de alimentos

Veja mais
Guia sobre arduíno - Arte, Ciência e Tecnologia

ACT: Placa arduíno e suas funcionalidades

Veja mais

Sesc RJ leva atendimento odontológico móvel e gratuito a Queimados

Veja mais
Som do Sesc: Nando Reis e filho Sebastião apresentam live com abertura de Chico Chico

Maria Gadú é a atração do Som do Sesc deste sábado (25/9)

Veja mais