Madureira – 407 Anos e Muita História para Contar

Por Malena Xavier
Bibliotecária e Analista de Literatura do Sesc Madureira

O bairro de Madureira, conhecido por sua multiplicidade de ritmos e manifestações culturais africanas e afro-brasileiras que consolidaram a formação do bairro, está aniversariando. Neste mês de maio, mais precisamente no dia 24, Madureira completa 407 anos.

Em meados do século XIX, um lugar extremamente rural foi dando espaço, território, corpo e alma a outro cenário: “Madureira cresce assombrosamente. (…) Ninguém pode precisar a extensão de seu desenvolvimento. (…) Os que se foram encontram na admiração de hoje, e na benemerência de seus nomes, mais do que recompensa: glorificação” (Morais, 1937, apud Rio 450 anos – Bairros do Rio – Madureira).

Esse crescimento assombroso, que já sinalizava Diomedes de Figueiredo Morais na citação acima, muito se deve a força da sua gente, que construiu e constrói a história deste bairro como protagonistas. Nomes que se transformam, continuamente, em verdadeiras entidades para a valorização do legado da ancestralidade afro-brasileira.

O lugar do Samba, do Jongo, do Charme, do futebol, do carteado, das manifestações religiosas múltiplas e abraçadas. O lugar do abraço, do sorriso no rosto, das pipas nas ruas, faz de Madureira um bairro citado e cantado em muitas obras artísticas.

Podemos encontrar em diversos livros a narrativa que aproxima a atmosfera existente no centro e nos bairros da Zona Norte do RJ das manifestações culturais e religiosas sempre potentes em Madureira. Atmosfera que faz com que o escritor Luiz Antonio Simas se aproxime de João do Rio, quase cem anos depois. Possibilitando um “bate-bola” entre os livros O corpo encantado das ruas e A alma encantada das ruas.

Convido a todos a algumas leituras que se referem ao amor do carioca pelo Rio de Janeiro, sobretudo lembrando do amor a Madureira na data do seu aniversário e da importância desta comemoração, para todos os que residem, trabalham, visitam e vivem, de variadas formas, a alegria e a efervescência pulsante do bairro:

COLEÇÃO EDITORIAL BAIRROS DO RIO: Madureira e Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro: Fraiha. 2004.

COSTA E SILVA, Álvaro. Dicionário amoroso do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Casarão do verbo, 2018

FAUSTINI, Marcus Vinícius. Guia afetivo da periferia. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2009.

LOPES, Nei. Guimbaustrilho: e outros mistérios suburbanos. Rio de Janeiro: Dantes: RIOARTE, 2001

MARTINS, Ronaldo Luiz. Mercadão de Madureira: caminhos de comércio. Rio de Janeiro: Condomínio do Entreposto Mercado do Rio de Janeiro, 2009.

RUFINO, Luiz. Histórias e saberes de jongueiros. Rio de Janeiro: Mil Palavras, 2014.

SIMAS, Luiz Antonio. O corpo encantado das ruas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2019.

 

SESC MADUREIRA – O Sesc RJ, por meio da Unidade Madureira, realiza todos os anos, o Projeto Rio de Madureira, que pretende contribuir tanto para o crescimento da consciência sociocultural e ambiental de seu público quanto com o sentido de valorização das riquezas do patrimônio histórico, cultural e natural carioca.

Notícias relacionadas

Ver todas as notícias
arte-ciencia-tecnologia-educacao-sescrj

Cinco dicas de Arte, Ciência e Tecnologia para explorar o mundo

Veja mais
Mesa Sem Fome - doações

Farmácias e supermercados do Grande Rio recebem doações para campanha do Sesc RJ

Veja mais

Equipe Sesc dá dicas de como lidar com o lixo que produzimos!

Veja mais
Flup 2019 - livro

Sesc e Flup lançam livro de contos inspirado em músicas de Marcelo Yuka

Veja mais