Sesc RJ vence e se garante na fase final da Copa Brasil de vôlei masculino 2020

O Sesc RJ venceu, convenceu e garantiu seu lugar na fase final da Copa Brasil nesta quarta-feira (15.01), no ginásio do Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro. Diante do Vôlei Renata, de Campinas, o time carioca fez 3 sets a 1 (25/14, 25/19, 22/25 e 25/22), e avançou na competição. Agora, terá pela frente o Cruzeiro, na semifinal, que será disputada diante do Sada Cruzeiro, no dia 24, às 19h30, na Arena Jaraguá, em Jaraguá do Sul (SC).

Um dos personagens mais importantes do jogo, o central Gustavão lamentou o fato do Sesc RJ ter baixado o ritmo no terceiro set, mas lembrou que a equipe soube voltar com tudo para garantir o triunfo antes do tie break.

“Jogamos muito bem nos dois primeiros sets, que foram bem tranquilos. Aí, o time mesmo deu uma baixada no ritmo. Não deveria acontecer, mas é normal. E também eles mudaram completamente a maneira de jogar, trocaram peças e fizeram saques mais pontuais. Com isso, saíram com a vitória na parcial. Aí, no quarto set, sabíamos que precisávamos entrar com tudo. Foi difícil, ponto a ponto até o final, quando conseguimos abrir um pouco para fechar”, analisou Gustavão, que foi fundamental nos momentos finais, anotando três pontos dos últimos cinco do time no jogo.

O chaveamento da Copa Brasil colocou o Sesc RJ diante do Sada Cruzeiro. Justamente um dos algozes do time carioca nesta temporada. No entanto, além de ser outra competição, disputada em mata-mata, o momento dos times é outro e é nisso que os jogadores do projeto carioca apostam.

“Qualquer chaveamento daria jogos muito fortes. Tivemos um confronto com o Sada nesta temporada, pela Superliga, e não jogamos bem. Agora, nossa equipe está em uma crescente e, sem dúvida, vamos fazer uma partida melhor que aquela. A gente quer muito ganhar, eu vim para cá para ganhar e não quero perder, não”, finalizou Gustavão.

Antes, porém, o Sesc RJ precisará virar a chave novamente. No próximo sábado (18.01), às 18h, o time comandado pelo técnico Giovane Gávio terá pela frente o Vôlei Um, de Itapetininga, fora de casa, em confronto válido pela Superliga masculina.

O jogo
Muito concentrado e mostrando um bom volume de jogo, o Sesc RJ não perdeu o controle em momento algum da primeira parcial. O time carioca abriu vantagem logo no início e num bloqueio de Martinez já tinha 11-7 no placar. Wallace, em seguida, fez um ace: 12-7. Outra sequência de block + ace ampliou ainda mais a diferença, respectivamente com Gustavão e Malon: 18-10. A partir daí foi questão de tempo para fechar em 25-14, num erro do Vôlei Renata.

O time de Campinas começou melhor no segundo set, chegou a ter 07-04 no placar e obrigou Giovane Gávio a pedir tempo para o Sesc RJ. E deu certo. Em uma chutada no meio, Gustavão empatou: 07-07. A virada veio logo, mas a folga no marcado chegou mais tarde que a parcial anterior. Wallace cravou um ataque preciso pela saída de rede e fez 18-14. Martinez, em seguida, explorou o bloqueio do Vôlei Renata numa bola dividida na entrada de rede: 19-14. E mais uma vez o final foi tranquilo: 25-19 em um bloqueio de Gustavão.

Repetindo o roteiro do set anterior, o Vôlei Renata até chegou a endurecer mais o jogo, principalmente nos momentos iniciais. No entanto, Wallace colocou o Sesc RJ na frente com um ace: 9-8. Em outro ponto de saque, Flavio fez 12-10. Mas dando uma cara nova e um suspense ao jogo, também em um ace, os visitantes conseguiram virar e abrir: 18-16, após excelente serviço do oposto Renan. E o mesmo Renan foi quem fechou, em uma bela diagonal: 25-22 e 2 sets a 1 no jogo.

Pela primeira vez na partida o Sesc RJ passou a entregar muitos pontos ao adversário em erros de execução de seus ataques e no saque. Em consequência, o time de Campinas conseguiu uma pequena vantagem logo no início do quarto set e a manteve até Maurício Borges empatar em 8-8, explorando o bloqueio, numa bola dividida na entrada de rede. Em seguida, num rally sensacional, Gustavão marcou 10-8 num belo bloqueio, após Gonzalez arriscar jogada pelo meio com Michel.

O Campinas reagiu, empatou, chegou a virar e as duas equipes passaram a se alternar no comando do placar. Gustavão bloqueou Renan e fez 19-18. Ele novamente, mais uma vez no bloqueio, fez 21-19 e encaminhou a vitória do Sesc RJ. Wallace explorando o bloqueio do Vôlei Renata anotou 23-20 e não tinha mais jeito. O oposto do time carioca fechou o jogo num ace sensacional: 25-22.

Fotos: Erbs Jr.

Mesa Brasil Sesc RJ

Os jogos das equipes feminina e masculina de vôlei do Sesc RJ disputados no Rio de Janeiro têm como entrada 2kg de alimentos não perecíveis, destinados ao ‘Mesa Brasil Sesc RJ’, programa social do Sesc RJ que visa a minimizar os efeitos da fome e do desperdício. Criado em 2000, o Mesa Brasil Sesc, no estado do Rio de Janeiro, recolhe doações de produtos alimentícios em condições de consumo, ainda que eventualmente com baixo valor comercial, e os distribui a instituições de assistência social previamente cadastradas, como asilos, creches, orfanatos, entre outras instituições. O programa atende no estado do Rio de Janeiro a mais de 850 instituições sociais, tendo uma abrangência superior a 90% dos municípios fluminenses. Além das doações, as entidades também recebem mensalmente ações educativas com o objetivo de ensinar o aproveitamento integral de alimentos, com a utilização de cascas, sementes e talos, na elaboração de receitas nutritivas e saborosas.

Os alimentos podem ser trocados por ingressos com antecedência nas unidades do Sesc RJ e em dias de jogos nas bilheterias do Ginásio Álvaro Vieira Lima (Tijuca Tênis Clube), sempre duas horas antes do início das partidas.

Notícias relacionadas

Ver todas as notícias

Festa do Pijama on-line dos projetos educativos do Sesc RJ

Veja mais

Nossa equipe esbanjou talento para incentivar doações para campanha #MesaSemFome

Veja mais

Regina Pinho, Diretora do Sesc RJ, fala sobre comportamento social e a mulher executiva

Veja mais
Dia-mundial-do-brincar-SescRJ

Dia Mundial do Brincar: no Sesc RJ a brincadeira é coisa séria

Veja mais