CineSesc: SESSÃO DE CURTAS 1

Sessão de curtas 1 – Cores da Diversidade. 76 min. 10 anos.

AVA KUÑA, ATY KUÑA; MULHER INDÍGENA, MULHER POLÍTICA
Direção de Julia Zulian / Fabiane Medina. MS / Brasil. 2021. 25 min. Documentário. Livre.
Uma abordagem poética da resiliência política das mulheres indígenas brasileiras. Retrato da Kuñangue Aty Guasu, a Grande Assembleia de Mulheres Guarani Kaiowá, o curta-documental mescla as impressões, sentimentos e explicações de uma mulher branca e de uma mulher originária acerca desse encontro.

CAMYLLA BRUNO
Direção de Henrique Saunier Michiles. AM / Brasil. 2021. 24 min. Documentário. Livre.
Masculino e Feminino. Dois universos que podem coexistir em uma só pessoa. Camylla Bruno nos leva para dentro desta fusão de mundos ao acompanhar a história do ator transformista amazonense que divide sua vida entre o restaurante que administra e os palcos onde dá vida à Camylla, seu alter ego. Sua relação com a família, sonhos e decepções com os concursos de beleza e questões existenciais da realidade LGBTQIA+ permeiam todo o filme em um documentário poético que traz destaque para uma entre tantas histórias inspiradoras deste universo.

SEREMOS OUVIDAS
Direção de Larissa Nepomuceno. PR / Brasil. 2020. 13 min. Documentário. Livre.
Como existir em uma estrutura sexista e ouvinte? Gabriela, Celma e Klicia, três mulheres surdas com realidades diferentes, compartilham suas lutas e trajetórias no movimento feminista surdo.

JEROKY GWASU – GRANDE CANTO
Direção de Michele Perito Concianza. MS / Brasil. 2021. 12 min. Documentário. 10 anos.
Filme ritual sobre o Grande Canto Kaiowá realizado nas Aldeias Panambizinho e Panambi em MS.

OLHE-SE
Direção de Ilana Paterman Brasil. RJ / Brasil. 2020. 2 min. Experimental. Livre.
Animação a aquarela de passos femininos do funk carioca. A artista entrou em contato com o universo de tutoriais caseiros do YouTube que ensinam variações do quadradinho, e que passam a fazer parte das atividades pandêmicas, pela busca de novas expressões e habilidades corporais – assim como o fazer extenuante de uma animação artesanal. Em tempos de isolamento, trabalhar pela internet tornou-se uma adaptação do processo da artista, que até então criava animações a partir de filmagens próprias. Ao olhar para si, a mulher pode sentir sua potência na arte, na dança e na pintura, e compartilhar o que sabe com outras mulheres, conectadas entre si pelo tambor ancestral do funk. Composto por 101 aquarelas em papel A4 Canson c’a Grain 180g.

 

Unidades