A Palavra Líquida: Slam - Batalhas de Poesia

A Palavra Líquida: Slam – Batalhas de Poesia

Palavra Líquida, evento realizado pelo Sesc RJ em 2019, propôs a realização de circuito de Slam em diversas Unidades unidades do estado. 

Há alguns anos, o Sesc RJ tem incluído em suas programações os slams, contemplando esta expressão artística e sua força para alcançar novos públicos, sobretudo os mais jovens para literatura, e também com o caráter cultural-educativo, proporcionando a estes artistas da palavra realizar apresentações em escolas, compor saraus e participações especiais em eventos, como a da poeta Brenda Lima que no ano de 2018 fez uma intervenção poética no show da banda Jota Quest.

Entre os dias 1º e 17 de novembro de 2019, foi realizado, com a temática Slam: Batalhas de Poesia, a quinta edição do evento de multilinguagem artística A Palavra Líquida no qual diferentes áreas culturais são interligadas à literatura, com a proposta de celebrar o fenômeno efervescente das batalhas de poesia falada e propor reflexões sobre essa expressão de arte. Durante o período, o Sesc RJ promoveu um inédito circuito de batalhas poéticas em algumas de suas unidades entre os municípios da região metropolitana e no interior do estado.

A programação principal foi realizada na unidade Sesc Madureira, e contou com diversas atividades. Foram realizadas Exibições Audiovisuais – do filme Slam: Voz de Levante de Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D’Alva. Oficinas – como a Palavra Projetil de Paulo Emilio Azevedo; de dança com o Passinho de Iguinho Imperador; de Rimas com o MC Estudante; de artes visuais como a O Papel da Palavra de Rodrigo Rosm. Debates – como a mesa Palavras da Rua com Mc Marechal, Carol Dall Farra, Sergio Vaz e Jessé Andarilho e a mesa Palavras que Ecoam com Giordana Moreira, Tatiana Lohmann e Paulo Emilio Azevedo. Exposições – como a exposição coletiva Margem que teve curadoria de Giordana Moreira e a videoinstalação Rua da Poesia. Shows – como a Roda de Partido Alto com Fernando Procópio e Gabrielzinho do Irajá; o show poético do coletivo Liberdade Poética; e o show do rapper MC Marechal. Palestras – como a Fanzine como Plataforma Emancipadora na Produção Literária da Periferia com Osmar Paulino e Literatura, Pão e Poesia com Sergio Vaz. Feira de Livros – a Ocupação Palavras que contou com a presença das Editoras Malê, Oriki e Metanóia, e as livrarias independentes Nombeko, Timbuktu, além do escritor e quadrinista Estevão Ribeiro. Encontro com Slammers – uma espécie de mesa redonda com poetas relevantes na cena da slam poetry, com a condução de Tom Grito – que circulou pelo país, através do projeto do Sesc, Arte da Palavra – Bell Puã – campeã do SLAM BR em 2017. Pieta Poeta – campeão do SLAM BR em 2018. King – campeã do SLAM RJ em 2019. E Sabrina Azevedo – Bi-Campeã do SLAM RJ 2017/2018.

Pulando a catraca através da lírica! SLAM! PALAVRA LÍQUIDA!”

Todo Slam tem seu grito inicial, aquele momento em que artista e plateia trocam energias e abastecem o sentimento de vinculo das apresentações. No Slam Palavra Líquida esse ritual foi exercido com excelência. Foram convidados cinco poetas relevantes na cena do Slam no estado para serem os mestres de cerimônia das batalhas, nossos slammasters de cada etapa, além de compositores do grito do slam.

O circuito teve suas etapas, tanto inicial quanto a final, realizadas no Sesc Madureira. Nossa slammaster dessas duas edições e madrinha da competição foi a poeta MC Martina – fundadora e produtora do Slam Laje, no complexo do alemão. A etapa no Sesc São Gonçalo foi conduzida pela poeta e produtora audiovisual Mari, integrante do coletivo Roda Cultural do Alcântara. Em São João de Meriti, a mestre de cerimônia foi a produtora cultural Ana Acioli – fundadora do Slam Afronta realizado na Pavuna. Na etapa do Sesc Tijuca contamos com a condução da poeta Josi de Paula – idealizadora e slammaster do Slam Negritude, que ocorre no centro do Rio de Janeiro. Na batalha da unidade Nova Iguaçu o mestre de cerimônia foi o poeta, produtor e cantor Maui – idealizador e slammaster do Slam BXD que ocorre na região da Baixada Fluminense. Na unidade de Barra Mansa, a batalha foi conduzida pela poeta, produtora e artista gráfica Nathalia Leal – slammaster do Slam de Quinta, realizado em Paraty, na região da costa verde no sul do estado.

Os grandes vencedores

Em relação aos vencedores das batalhas, tivemos respectivamente na ordem das etapas citadas anteriormente, o poeta Foster – idealizador do Slam Fogo Neles, que acontece no Morro do Vidigal. A poeta e rapper Andréa Bak – integrante do Slam das Minas RJ. O poeta e escritor Matheus Araújo – slammaster do Slam Maré Cheia, que acontece no conjunto de favelas da Maré. O poeta Da Costa. O poeta e rapper Chal Enigma – integrante do Coletivo NósdaRua. E o poeta Cotta – slammaster do Slam Paz em Guerra, que acontece em São Gonçalo. Cotta também é idealizador de uma das primeiras batalhas de versos virtual no período de isolamento, o Slam Quarentena, que tem acontecido durante o período de isolamento, na sua página no Instagram e tem mobilizado poetas de várias regiões do Brasil.

No dia 16 de novembro de 2019, foi realizada a final envolvendo os vencedores das etapas, em um dia de programação focada na palavra, com atrações como o poeta Sergio Vaz recitando seus poemas e participando de mesa de debate com a poeta Carol Dall Farra, o escritor Jessé Andarilho e o rapper Mc Marechal. Segundo a slammaster da final MC Martina, a edição foi o evento com maior público de Slam no Rio de Janeiro, com cerca de 600 pessoas na plateia para ver uma disputa acirrada de grandes talentos, vencida pelo poeta Da Costa de 18 anos, que tem entre suas características poéticas abordar temas como ancestralidade, denúncias sociais e questões raciais.

Apoie o artista independente

Conheça mais o trabalho dos poetas que fazem a cena das batalhas de poesia falada. Indico abaixo as páginas dos artistas na internet para acesso.

Conheça mais sobre Slam Poetry – Batalhas de Poesia

Selecionamos algumas informações e materiais disponíveis na internet que nos permitem conhecer mais sobre o movimento artístico-literal das batalhas de poesia:

Livros sugeridos:

  • Coleção Slam, 4 livros temáticos – Negritude; Antifa; Empoderamento Feminino; LGBTQIA+. Editora Autonomia Literária, 2019
  • Querem nos calar, organizado pela poeta Mel Duarte. Editora Planeta, 2019
  • Maré Cheia, de Matheus de Araujo. Selo Birrumba, 2017
  • Tagarela (o livro): o penúltimo registro do slam, organizado pelo poeta Paulo Emilio Azevedo. Selo Futurarte Poesia, 2014
  • Navio Negreiro, de Maria Duda. Editora Malê, 2019
  • Antes que seja tarde: para se falar de poesia, de Tom Grito (publicado sob o heterônimo Letícia Brito). Editora Malê, 2019
  • Teatro Hip-Hop, de Roberta Estrela D’Alva. Editora Perspectiva, 2014

Leia também:

Notícias relacionadas

Ver todas as notícias

#ConectadosPeloSocial | Funcionários falam sobre o retorno às atividades presenciais

Veja mais
Cinema-online-dicas-sescrj

O cinema e a música de Sérgio Ricardo

Veja mais
Jovens que mudaram o mundo

Jovens que mudaram o mundo

Veja mais
Hotel Sesc Copacabana

Reabertura do Hotel Sesc Copacabana

Veja mais